SESC lança coleções digitais inéditas dos acervos de encenações teatrais

O SESC disponibiliza, na plataforma Sesc Digital, coleções digitais do acervo de encenações do Centro de Pesquisa Teatral do Sesc São Paulo. São imagens de figurinos, cartas, peças gráficas e outros itens que recontam a história dos espetáculos. 

Em 14 de outubro, entra em cartaz a coleção sobre a peça A Hora e vez de Augusto Matraga,encenada em 1986. O espetáculo, baseado no conto de Guimarães Rosa, buscava ir além do foco no aspecto externo, nas descrições de paisagens da literatura do autor que Antunes via em outras adaptações. O diretor queria mergulhar na alma, no universo interior de Matraga. 

A partir de 16 de novembro, o público poderá conferir a coleção de Xica da Silva, que esteve em cartaz em 1988, ano do centenário da abolição da escravidão no Brasil. Protagonizada pela atriz Dirce Thomaz, a peça foi fundamental na trajetória e evolução do grupo com o uso da cenografia como elemento narrativo, mais do que simples recriação realista de um espaço, mas como parte efetiva na criação de significados no relacionamento com atores e texto. 

As duas coleções virtuais juntam-se à de A Pedra do Reino, sobre a encenação de Antunes e do grupo Macunaíma em 2006. Lançada em setembro, mas continua online e pode ser acessada na plataforma.

Cada abertura de Coleção é acompanhada por uma mesa temática, que integra o Círculo de Debates – Memória, Acervo e Pesquisa. Serão mesas que contarão com gente do teatro, pesquisadores e envolvidos nas montagens referidas ou com universos correlatos às obras originais e outras teatralizações. O Círculo de Debates – Memória, Acervo e Pesquisa, acontece uma vez por mês e fortalece e fomenta a manutenção da memória e da pesquisa do acervo de artes cênicas.

Os comentários estão encerrados.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: