8 de março: Data histórica marca a luta e as conquistas das mulheres

O Dia Internacional da Mulher marca a trajetória feminina ao longo dos anos, a sua luta e importância na sociedade, além das suas conquistas sociais, econômicas e políticas. A data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando 130 operárias morreram carbonizadas. O incidente marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20.

O primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908, nos Estados Unidos, quando cerca de 1.500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país.

Em 1945, a Organização das Nações Unidas assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres, e declarou o ano de 1975 como o Ano Internacional da Mulher. A data oficial foi instituída em 1977.

Para a ONU, a luta pela igualdade é um esforço coletivo e a organização busca promover estratégias, acordos e programas ao redor do mundo para elevar o status da mulher na sociedade.

No Brasil

As movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força após a Constituição de 1932, promulgada por Getúlio Vargas, que concedeu as mulheres o “Direito ao Voto”.

A partir dos anos 70, as organizações passaram a discutir a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher, porém, este desafio segue até os dias de hoje.
Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.

Outra importante conquista das mulheres ocorreu em 2006, com a criação da Lei n.º 11.340, conhecida popularmente como Lei Maria da Penha. O nome é uma homenagem à farmacêutica que sofreu violência do marido durante anos e é considerada um marco na história de luta das mulheres brasileiras contra a violência doméstica.

Depois de anos, a mulher tem hoje um papel importante na sociedade, e graças a essa luta incansável. Estão presente em praticamente todas as atividades econômicas e sociais no mundo. Mas em pleno ano de 2021, a mulher ainda sofre a discriminação, principalmente em países machistas como o Brasil, com um dos maiores índices do crime de feminicídio, é o 5º país em número de casos no mundo. E para acabar comesses problemas é necessário a conscientização de toda a sociedade e sua participação nesta luta em busca da igualdade social e o fim da violência contra a mulher.

Matéria originalmente publicada pelo Jornal SP Norte. Clique aqui e visualize o seu conteúdo completo.

Os comentários estão encerrados.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: