Subprefeito da Cidade Ademar, Renato, concede entrevista exclusiva para o Jornal Zona Sul Notícias

O Jornal Zona Sul Notícias inicia nessa edição, sua série especial de entrevistas com os subprefeitos da região. O primeiro administrador regional a ser sabatinado pelo veículo, será Renato Galindo Jardim da Silva, que atualmente está a frente da Subprefeitura da Cidade Ademar.

Renato tem 46 anos, é Bacharel em Administração de Empresas pela FASP (Faculdade Associadas de São Paulo), passou pela UNIP no curso de Engenharia Industrial e também é Técnico em processamento de Dados. Esteve como gestor de empresas no Grupo On Log Atacado e Varejo Papelaria, e de unidades lotéricas. Em experiência pública Renato Jardim foi chefe de gabinete da Subprefeitura Vila Mariana de 2012/2015.

O Subprefeito foi presidente do Rotary Club Cidade Dutra de 2011/2013 e fundador do Rotaract Club Cidade Dutra. Além disso, ele concretizou o Marco Rotário da Região e contribuiu com vários projetos humanitários. No mesmo período de 2011/2013 foi presidente da AESUL-Associação Empresarial da Região Sul, fortalecendo o empreendedorismo. Membro Ativo e Regular da Loja Maçônica Fé e Equilíbrio e Luz desde 2005, esteve como Conselheiro Regional da AACD de 2013/2015.

“A vida pública apareceu da inquietude de não querer ficar no sofá reclamando do que estava acontecendo. Acho que as ações sociais são extremamente importantes para a sociedade e a minha proximidade com a família Goulart, me aproximou desses ideais. Um cargo executivo te aproxima de ações mais efetivas, você está na ponta, com a tomada de decisão”, finaliza.

Confira a entrevista completa

Como funciona o serviço de zeladoria da Subprefeitura da Cidade Ademar? E como o munícipe pode pedir este serviço?

Os munícipes devem fazer as solicitações de serviços de zeladoria por meio do canal oficial da Prefeitura, pelo Portal 156 (https://sp156.prefeitura.sp.gov.br/portal) no aplicativo SP156 e via central de atendimento telefônico no número 156. Tenho procurado ter muito diálogo com todos os munícipes da região, sobre os nossos gastos, atualmente temos uma verba de R$ 34 milhões, sendo que R$ 8 milhões destes são destinados para a manutenção dos piscinões. Deixando assim, a Subprefeitura com uma verba menor que as outras, sendo que as necessidades são iguais ou maiores. Estou tentando equalizar essa conta, com a vinda de emendas parlamentares dos vereadores.

Além disso, temos um agravante que a maioria das praças que foram revitalizadas na gestão anterior estão degradadas, causando um novo gasto para a Subprefeitura, que terá que praticamente “refazer” as praças. É preciso que os moradores tenham um sentimento de “pertencimento” não só destas áreas, mas também de toda a localidade, a fim de terem um zelo maior sobre o local onde eles moraram. Nas reuniões que tenho participado, tenho procurado alertar os moradores sobre essa questão. Uma frase que tenho nesses encontros, é que grandes obras mudam uma cidade, pequenas ações mudam a vida das pessoas. Espero que essa conscientização cresça em todos que habitam aqui.

O descarte irregular de lixo é outro grave problema em nossa região. Como funciona esse trabalho na Subprefeitura da Cidade Ademar?

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB), informa que o Revitaliza SP, projeto que elimina e revitaliza pontos de descarte irregular na cidade, já revitalizou este ano cerca de 57 pontos viciados e foram retiradas cerca de 230 toneladas de resíduos. Ao todo, a capital tem 2.403 locais com acúmulo de lixo em local indevido. Durante as revitalizações são realizadas ações de limpeza, decoração do espaço e educação ambiental com a comunidade local.

Para manter a zeladoria nesses locais, mensalmente a operação cata-bagulho passa nas vias coletando entulho, grandes objetos e eletrodomésticos – a programação pode ser conferida no site da autarquia (www.amlurb.sp.gov.br ). Além do serviço de varrição, a região também conta com o serviço de coleta mecanizada de entulho. A fim de incentivar o descarte correto dos materiais, a Subprefeitura da Cidade Ademar receberá um novo ecoponto, totalizando três na região. 

Em outra iniciativa para coibir o descarte irregular, as equipes de conscientização ambiental realizam ações porta a porta para orientar os munícipes sobre o descarte correto dos materiais, endereços dos Ecopontos mais próximos, programação da operação cata-bagulho e horário da coleta domiciliar. Durante a pandemia, a fim proteger os educadores e também a população, as equipes deixam os informativos nas caixas de correspondência. A Prefeitura de São Paulo registrou uma queda de 64% no número de pontos viciados de lixo na capital, considerando que em 2016 haviam cerca de 4 mil pontos e atualmente existem 1.439, segundo último mapeamento realizado pela Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB) e Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB). Essa diminuição faz parte de um conjunto de iniciativas para combater o descarte irregular na cidade, como ações de fiscalização, educação ambiental, revitalização e aumento no número de Ecopontos.

Em janeiro de 2020, a AMLURB lançou o Revitaliza SP, um projeto que eliminou e revitalizou 900 pontos viciados, por meio de limpeza e educação ambiental. Até o momento, o projeto já retirou aproximadamente 2,8 mil toneladas de resíduos das ruas. A ação, que além da retirada do lixo envolve pintura de guias, muros e paisagismo, é realizada em parceria com os consórcios de varrição, coleta domiciliar, com as Subprefeituras e com os moradores.

Vale ressaltar que a contribuição da população é fundamental para manter as ações de zeladoria da cidade. O descarte irregular de material em vias públicas está sujeito a multa no valor de R$ 819,81 (abaixo de 50kg) até R$ 17.447,82 (acima de 50kg), conforme os artigos 160 e 161 da Lei 13.478/02, além de ser considerado crime ambiental.

Em relação aos moradores em situação de rua? Como é feito esse trabalho na Subprefeitura da Cidade Ademar?

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), por meio do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), realiza busca ativa para abordar pessoas em situação de rua e oferece acolhimento nos equipamentos da rede socioassistencial. Importante ressaltar que o aceite é voluntário.

A população também pode ajudar solicitando uma abordagem social pela Central 156 (ligação gratuita, nas opções 0 e em seguida 3). O acionamento da abordagem pode ser anônimo, é importante informar o endereço da via em que a pessoa em situação de rua está (o número pode ser aproximado), citar pontos de referência e características físicas e detalhes das vestimentas da pessoa a ser abordada.

Qual a importância da mídia local na divulgação das ações realizadas pela Subprefeitura local? Em especial o Zona Sul Notícias?

A mídia local é extremamente importante na divulgação das ações realizadas pela Subprefeitura, pois ela chega, a população mais necessitada e que às vezes, não tem acesso aos grandes veículos de comunicação, como Rádio, TV e Portais da Internet. Atualmente estamos com uma população de aproximadamente 550 mil habitantes, que consome as notícias publicadas por esses jornais locais. Além disso, é importantíssimo termos parceiros nesse sentido, e o Zona Sul Notícias, é um deles, pois informa os bairros periféricos da região, trazendo uma informação de qualidade não só no seu jornal impresso, mas também no seu portal de notícias.

Matéria originalmente publicada pelo Jornal Zona Sul Notícias. Clique aqui e leia o conteúdo completo.

Os comentários estão encerrados.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: